Orquídeas e fungos, geralmente uma combinação muito temida e que causa espanto em muitos orquidófilos. Não há uma pessoa que diga que nunca precisou usar um produto para combater fungos em suas plantas.

Mas vamos com calma! Existem inúmeros fungos e muitos são patógenos (fazem mal a planta e pessoas) enquanto outros são benéficos e crescem em simbiose com as orquídeas (é sério!).

O uso de fungicidas pelos orquidófilos é, muitas vezes, feito sem conhecimentos mais profundo do problema e o uso contínuo de produtos como esses podem causar uma resistência maior dos fungos aos produtos podendo, além de debilitar as plantas, as deixar sem a devida proteção contra patógenos.

Quando se observa as orquídeas na natureza vemos os mais diferentes tipos de ambientes, florestas fechadas com umidade relativa próxima a 90% quase constantemente, até campos abertos com as plantas expostas diretamente ao sol e ao vento, plantas crescendo sobre rochas quentes onde só recebem o orvalho noturno, entre outras condições. Mas como as plantas não são atacadas na natureza? A resposta é simples: o ambiente está equilibrado e com diversidade, e as plantas estão crescendo no habitat com as condições ideais para que estejam saudáveis e protegidas.

MICORRIZAS: OS FUNGOS BENÉFICOS

Micorrizas são fungos que existem em abundância na natureza, eles se associam às raízes das orquídeas (e também de outras plantas), podendo estar associados de forma a ficar dentro ou fora da raiz.

A planta, através da fotossíntese, fornece energia e carbono para a sobrevivência e multiplicação dos fungos micorríticos, enquanto estes absorvem nutrientes minerais e água, transferindo-os para as raízes, estabelecendo assim uma troca muito benéfica para ambos de maneira simbiótica.

As micorrizas podem lançar suas hifas até 7 vezes a extensão das raízes das plantas para captar esses nutrientes, estendendo exponencialmente a capacidade da planta em se nutrir. O efeito mais marcante dessa associação está no aumento da absorção de nutrientes pela planta, fazendo que com que ela seja mais saudável e resistente contra ataques.

Se falamos que as micorrizas fazem bem para as plantas, isso é um fato consumado, mas seu papel é muito mais importante na família das orquídeas pois atuam também no auxílio do crescimento de mudas a partir das sementes. Nas orquídeas, as sementes não possuem reserva de nutrientes (conhecido como cotilédones) como as outras plantas, o que impede a nutrição natural destas após a germinação na ausência do fungo na natureza, forçando muitos produtores a cultivarem suas sementes in vitro.

MINHAS ORQUÍDEAS ESTÃO COM SINAIS DE ATAQUE DE FUNGOS PATÓGENOS, O QUE FAZER?

Existem inúmeros métodos naturais para evitar o uso de fungicidas tóxicos e sistêmicos.

A primeira coisa a observar é se sua orquídea está em ambiente arejado, com boa drenagem ou se ela está recebendo água em excesso. Observe o substrato em que ela está plantada, ele pode estar em decomposição ou mal drenado. Caso seja possível reduza ao máximo as regas e mude-a para um ambiente mais arejado, corte as partes afetadas (com tesoura esterilizada), e aplique canela em pó nestas partes expostas pois a canela, além de ser um fungicida natural, também é cicatrizante. É sempre importante lembrar as condições de cultivo básico que você pode ler aqui.

Para casos onde a planta já está sob ataque de fungos patógenos é necessário aplicar produtos que auxiliem na recuperação da planta e a sanar o problema. É importante aplicar estes produtos pela manhã, e que a planta fique protegida de chuvas e do sol, que seu substrato seja trocado por um substrato novo e limpo, e a planta seja limpa e lavada previamente.

PRINCIPAIS PRODUTOS UTILIZADOS NO COMBATE A FUNGOS PATÓGENOS

A seguir vamos dar exemplos de produtos simples e de fácil acesso para o combate a fungos com produtos comerciais e também com algumas receitas caseiras.

Calda Bordalesa: é um fungicida agrícola tradicional, aceito inclusive pela agricultura orgânica, composto de sulfato de cobre (que atua como fungicida), cal hidratada ou cal virgem (para acerto do pH) e água. Geralmente já encontramos esta mistura pronta, mas se você quer se aventurar e fazer em casa, deve-se atentar para o pH da solução, que deve ser básico, entre 8 e 9. Não é uma solução indicada para iniciantes por conta do risco de queimar a planta se o pH não estiver correto. Aplica-se em toda a planta duas vezes em um intervalo de 15 dias.

Pinho Sol: uma excelente solução, barata e fácil de encontrar em qualquer lugar. Usa-se uma solução de 5 a 10%, ou seja de 50 a 100ml em 1L d’Água. Aplica-se duas vezes em toda a planta com intervalo de 15 dias. Deve ser usado com cautela e, principalmente, nos casos mais graves, não devendo estender sua aplicação por longos períodos.

Canela em pó: Adicionada ao substrato em pó, em pasta com óleo mineral, vaselina ou própolis para aplicação em cortes, em forma de chá (utilizado frio) e aplicado em toda a planta. A canela tem ação anti-fungica e estimula a brotação das plantas, pode ser usado de maneira preventiva mensalmente. O chá é feito fervendo uma colher de chá em 1L de água, coado e aplicado (após esfriar) em toda planta, podendo ser utilizado semanalmente para plantas infectadas.

Óleo de neem (ou nim): O óleo de neem é utilizado diluído em água de 3 a 5ml/L e aplicado em toda a planta e auxilia no combate de fungos e outros insetos. Esse produto age muito bem como preventivo, podendo ser aplicado mensalmente nas plantas, prevenindo a ação dos patógenos e não prejudicando sua saúde. Em casos de infecção grave deve ser utilizado com frequência semanal até o controle da doença.

Torta de neem: A torta de neem pode ser adicionada ao substrato das plantas e tem o mesmo efeito, mas age principalmente no substrato e com efeito preventivo ao ataque de fungos e insetos.

Própolis: Em pasta, misturado à canela em pó, diluído em água ou em conjunto com óleo de neem, este produto tem inúmeras aplicações, é natural e fácil de encontrar, devendo ser utilizado em sua versão sem álcool. Tem ação bactericida e fungicida, aplicado diluído nos casos extremos em 30 gotas por litro e aplicado em toda a planta. Em pasta com a canela em pó pode ser aplicado em cortes como preventivo.

IMITANDO A NATUREZA

Na natureza o ambiente é equilibrado e diversificado, possibilitando o pleno desenvolvimento das plantas. Podemos “imitar” a natureza em algumas ocasiões, buscando o cultivo mais próximo das condições ideais para as plantas e introduzindo alguns fungos e bactérias que já são comercialmente produzidos para que estes funcionem de forma sistêmica ou permanente na planta. Eis aqui alguns exemplos:

Paenibacillus polymyxa, uma bactéria que produz uma capa que protege as raízes contra fungos patógenos.

Pseudomonas fluorescensoutra bactéria que trabalha contra fungos como Fusárium e Amarelão e, alguns tipos de Nematóides.

Trichoderma é um tipo de micorriza que compete com outros tipos de fungos. Ela compete pelo mesmo alimento dos outros fungos patógenos além de produzir toxinas que impedem que estes se espalhem. Como toda micorriza ela é capaz de favorecer as plantas através da simbiose já descrita acima.

Com a utilização destes fungos e bactérias benéficos é possível combater fungos patógenos em estágios avançados e também prevenir o ataque dos mesmos.

A Fabergé Orquídeas comercializa um produto composto por diversos fungos e bactérias benéficos para suas plantas chamado micorriza . Você pode verificar em nossa loja-online no seguinte link http://fabergeorquideas.com.br/produtos-para-o-cultivo/

 

Anúncios