As orquídeas são plantas pertencentes à família orquidácea, que tem cerca de 1800 gêneros e um número superior a 35mil espécies.

As orquídeas não são parasitas de outras plantas, ou seja, elas não sugam a seiva e nem prejudicam a planta em que estão fixadas. Existem diversas orquídeas com hábitos variados de crescimento, sendo em sua maioria epífitas, rupícolas, terrestres, tendo inclusive um indivíduo aquático!!!!

Loph_pumila
Lophiaris pumila (Oncidium pumilum) – micro orquídea de hábitos epífitas

Com tamanha variedade, é até difícil passar um roteiro simplificado de como cuidar e cultivar uma orquídea adequadamente, não é mesmo?

Entretanto, assim como quase toda planta, as orquídeas tem as condições específicas necessárias para um bom crescimento e florescimento, podendo-se resumir em 6 fatores principais:

  • Hábito de crescimento;
  • Umidade;
  • Ventilação;
  • Luminosidade;
  • Temperatura; e
  • Nutrição adequada.

Essas 6 condições básicas precisam sempre ser observadas para o bom cultivo das suas orquídeas. Se a planta não tiver estas condições adequadas para seu cultivo poderá não crescer e florescer com todo seu potencial e magnitude, podendo muitas vezes definhar até a morte.

Como temos uma variedade enorme de orquídeas e uma variedade maior ainda de híbridos, sempre existem plantas que podem ser cultivadas em condições extremas em um ou mais desses fatores.

E como fazer para saber o que a orquídea que você acabou de adquirir precisa? O primeiro passo é identificar esta planta, buscando a sua espécie. No caso de híbridos, é importante saber ao menos o gênero (ou gêneros) utilizado para produzir o cruzamento.

Após a identificação da planta, fica mais fácil e simples entender suas exigências, principalmente observando-se o ambiente no qual ela se desenvolve na natureza.

O primeiro passo então é saber onde plantar sua orquídea.

Uma orquídea epífita, ou seja, que cresce sobre outras plantas, vai preferir ser fixada em um tronco (sempre de madeira de boa qualidade e sem tratamento químico) ou árvore viva, podendo também ser cultivada em diversos tipos de vasos cerâmicos com ou sem substrato (que pode ser compostos de cascas de pinus, fibra de coco, carvão, casca de macadâmia, musgo sphagnun, substrato cerâmico, brita, entre outros).

As orquídeas rupícolas crescem sobre as pedras e tem algumas exigências diferentes das epífitas, sendo mais cultivadas sobre areia e pedras em vasos plásticos ou cerâmicos, se assemelhando mais ao ambiente no qual elas crescem na natureza.

Cabe aqui um adendo de histórias que um orquidófilo mais experiente e que visitou muitos habitats na década de 80 e 90 (Sr. Vado Andrade Silva) nos contou que muitas plantas consideradas epífitas hoje foram comumente encontradas vegetando em hábito rupícola na natureza, ou seja, muitas vezes as plantas da mesma espécie se adaptam a diferentes locais de crescimento.

vasconceliana
Hoffmansegella vasconceliana – espécie de orquídea rupícola recentemente descoberta

No caso das orquídeas terrestes, o ideal é o cultivo em solo (terra) mesmo, sempre bem drenado e aerado, podendo-se utilizar musgo (sphagnum) para melhorar a manutenção de umidade.

Mais uma vez é necessário falar sobre adaptação das plantas, com exceção de algumas plantas muito exigentes, a maioria das orquídeas se adaptam bem a substratos para epífitas, inclusive as terrestres, desde que observadas as demais condições de cultivo.

epidendrum
Epidendrum – gênero de orquídeas com muitos indivíduos terrestres mas que se adaptam a diversas formas de cultivo

Parece que começou a ficar difícil, não é? Mas as próximas condições ajudarão na decisão de qual a melhor maneira de cultivar sua planta e garanto que não irá se arrepender quando vir uma linda flor em sua casa.

As demais condições tem muito a ver com o local de cultivo que cada um possui, sendo importante sempre observar o ambiente de sua casa, apartamento, chácara ou sítio.

As orquídeas com pseudobulbos costumam resistir bem a condições com falta de umidade e costumam enrugar seus pseudobulbos quando lhes falta água ou umidade (sendo um importante fator a observar nestas plantas). Já as micro-orquídeas muitas vezes não se desenvolvem ou não resistem à falta de água e umidade no ar e substrato.

Hoje, cada vez mais as pessoas moram em apartamentos altos e com condições de umidade baixa, sendo muitas vezes um fator determinante no sucesso (ou não) do cultivo das plantas e muitas vezes o mais difícil de perceber. As cidades também fornecem essa condição extrema de baixa umidade em grande parte do ano, uma vez que quanto menor for o número de árvores e rios, menor é a evapotranspiração e, consequentemente, menor a umidade do ar.

Quanto à ventilação, é importante observar que a grande maioria das orquídeas preferem um ambiente bem ventilado mas sem ventos muito forte. Algumas espécies tem grandes exigências quanto à ventilação nas folhas e sua grande maioria exige alta ventilação nas raízes, caso contrário, suas raízes podem apodrecer e a planta definhar.

Se você deseja cultivar orquídeas em condições ideais de umidade e ventilação precisa conhecer o EcoTronco da Fabergé Orquídeas, um vaso cerâmico especialmente desenvolvido para o cultivo de mini e micro-orquídeas, veja o vídeo explicativo de como ele funciona e caso deseje comprar um, clique aqui.

EcoTronco_rodriguezia
EcoTronco com mini orquídeas Rodriguezia

A temperatura também é muitas vezes um desafio para o cultivo de algumas plantas, sendo importante entender se a planta adquirida (ou que você está pensando em adquirir) tem requisitos rígidos de temperatura. Muitas plantas não suportam temperaturas muito frias e outras não toleram calor em excesso, já outras, exigem uma variação grande de temperatura entre dia e noite para florescer.

Já a luminosidade exigida pelas orquídeas é muito variada. A grande maioria das orquídeas epífitas exigem ambientes de meia sombra, mas com boa incidência de luz filtrada. Já as micro-orquídeas costumam preferir ambientes bem mais sombreados e as rupícolas e terrestres costumam tolerar e preferir ambientes até mesmo com sol direto, mas é importante saber das exigências de cada espécie, a melhor regra a se seguir, sempre!

Muitas vezes ouvimos que as orquídeas com folhas de textura fina (referindo-se à espessura da folha e não à largura) preferem ambientes mais sombreados e as com folhas mais grossas suportam mais luminosidade, também é dito que as folhas quando ficam verde muito escuras sinalizam que falta luz, verde claro indicam boa iluminação e mais para o amarelo muita luz (e bolas pretas podem indicar queimadura solar).

Se todos estes fatores forem observados e respeitados, o seu sucesso no cultivo das orquídeas está bem próximo!!!!! Agora vamos falar de nutrição vegetal…

Sabendo-se que as orquídeas não são parasitas, ou seja, não extraem os nutrientes das plantas em que se fixam, normalmente ficamos imaginando do que elas se alimentam, então? Na natureza, as espécies epífitas e rupícolas se alimentam de material vegetal em decomposição, nutrientes presentes nas cascas das árvores ou nas fendas das rochas, fezes de animais que escorrem com a chuva para baixo nas árvores e rochas, atingindo suas raízes, e isso ocorre muitas vezes em doses muito pequenas de nutrientes. Existem inclusive alguns gêneros como o Catasetum que lançam algumas raízes bem pontudas para cima, que normalmente captam alguma folha seca e vão absorvendo os nutrientes de sua decomposição.

Mas você que está cultivando uma planta em sua casa e em local que não recebe nenhum nutriente do ambiente vai precisar fornecer alimento às suas plantas e é muito importante que elas recebam todos os nutrientes necessários para um crescimento saudável. Existe hoje no mercado adubos de manutenção, crescimento e floração, sendo que muitos já fornecem os macro (N,P,K) e micronutrientes necessários à sua planta, normalmente na forma de sais solúveis ou preparados prontos.

É importante destacar que para que ocorra a floração (tão desejada) a planta precisa crescer de forma saudável, não sendo necessário em todos os casos a utilização de adubo para floração (rico em fósforo). Na maior parte dos casos, o uso de um bom adubo de manutenção, luminosidade, ventilação, temperatura, água e umidade na medida certa e um bom vaso e substrato é possível obter lindas florações!

Bom cultivo…

Anúncios